All for Joomla All for Webmasters

  • Arquivo Pessoal Enos 01

    Arquivo Pessoal Enos 01

  • Arquivo Pessoal Enos 02

    Arquivo Pessoal Enos 02

  • Arquivo Pessoal Enos 03

    Arquivo Pessoal Enos 03

  • Arquivo Pessoal Enos 04

    Arquivo Pessoal Enos 04

  • Arquivo Pessoal Enos 05

    Arquivo Pessoal Enos 05

  • Arquivo Pessoal Enos 06

    Arquivo Pessoal Enos 06

  • Arquivo Pessoal Enos 07

    Arquivo Pessoal Enos 07

  • Arquivo Pessoal Enos 08

    Arquivo Pessoal Enos 08

  • Arquivo Pessoal Enos 09

    Arquivo Pessoal Enos 09

  • Arquivo Pessoal Enos 10

    Arquivo Pessoal Enos 10

  • DJP 2012

    DJP 2012

  • Ump Enos

    Ump Enos

Nossa História

Em 1936 o Supremo Concílio a decidiu de chamar todas as sociedades domésticas de jovens e as que viriam a se organizar, de União de Moços Presbiterianos – UMP. (Digesto Presbiteriano 1882-1942, pg. 20).

Em 1938 foi criada a Secretaria Geral da Mocidade, sendo o nosso primeiro Secretário o Rev. Benjamin Moraes (Digesto Presbiteriano 1882-1942, pg. 20).

Em 1960 a Mocidade Presbiteriana cresceu, a CMP esteve em todos os Estados onde existiam UMPs organizadas, colaborou na criação de Federações Presbiteriais, publicou o jornal “Mocidade” e realizou Mais quatro congressos nacionais até que, em 1960, foi extinta a CNM e desativado o seu jornal.

Em 1986 a juventude presbiteriana ficou triste, tirou o pé no acelerador, mas não se acabou. Em diversos pontos do Brasil houve real crescimento, foram organizadas Confederações Sinodais, e em 1986 – depois de 26 longos anos de trabalho e grandes lutas, foi reorganizada, capitaneados por Sinodais do Rio, a Confederação, recebendo o novo nome: Confederação Nacional de Mocidade. 

Estamos na sexta legislatura, tivemos algumas dificuldades durante esses quase 25 anos, mas revigorados pelo Senhor, entramos neste novo quadriênio com toda a esperança de proclamarmos cada vez mais alto de que “Somos testemunhas!”, alegres na esperança, fortes na fé, dedicados no amor, unidos no trabalho

Nossa fé

Basicamente, quando falamos de Fé Reformada, referimo-nos à verdadeira religião cristã, como foi recuperada durante a Reforma Protestante dos séculos 16 e 17. Esse texto tratará de alguns assuntos referentes à fé Reformada, que a Igreja Presbiteriana do Brasil crê, mas você não encontrará a abordagem daqueles pontos cardeais da religião cristã que as Igrejas Reformadas compartilham com as demais, a saber, a Trindade, a expiação, a justificação pela fé, o nascimento virginal e a ressurreição corpórea de Jesus, seus milagres e a inspiração das Escrituras Sagradas.

A Fé Reformada adota todas as doutrinas apostólicas estabelecidas na Bíblia e formuladas em credos pelos grandes concílios ecumênicos da Igreja Primitiva. Ela é um relacionamento com Deus, através da mediação de Jesus Cristo, baseado no Evangelho revelado por Ele e pelas Escrituras Sagradas.

O conteúdo desse trabalho é seletivo e não abrange toda a fé cristã; não se pretende nem objetiva oferecer um resumo exaustivo da fé Reformada, antes aborda os princípios reformados, a Teocentricidade, a eleição, o sacrifício de Cristo e a Graça Irresistível de Jesus por nós, pecadores.

Twitter

Facebook

Instagram